NOME DURAÇÃO
Curso PHP
Abertura do Curso de PHP
Visão Geral do PHP
Ambiente de Desenvolvimento PHP
Servidor Web PHP
Como instalar o WAMP no Windows - Curso de PHP
Instalando PHPStorm no Windows
URL e Apache com PHP
Hello World em PHP
Executando Scripts em PHP
TAG PHP
Montagem do HTML com PHP
Montagem do HTML com PHP II
Comentários em PHP
Definições da Linguagem PHP
Variáveis em PHP
Variáveis em PHP II
Nomenclatura de Variáveis em PHP
Operadores Aritméticos em PHP
Tipos de Dados do PHP
Módulo da Divisão em PHP
Tomada de Decisão em PHP
Tomada de Decisão - Estrutura else
Ambiente para Estudo PHP
Números Pares e Ímpares em PHP
A instrução elseif
Operadores Relacionais em PHP
Operadores Relacionais Parte II
Operadores Lógicos em PHP
Tela de Login e Senha com PHP
Introdução às Estruturas de Repetição em PHP
Instrução While em PHP
Introdução do-while em PHP
do-while - caso de uso com PHP
Script em Looping em PHP
Atribuição vs Comparação vs Identico em PHP
Operadores de Atribuição Compostos em PHP
Operadores de Incremento e Decremento em PHP
Estrutura de Repetição for do PHP
Estrutura de Repetição for do PHP (parte II)
Tabuada em PHP
Instrução break em PHP
Instrução continue em PHP
Operação Ternária em PHP
Operação Ternária em PHP (parte II)
Estrutura de Seleção Múltipla switch em PHP
Estrutura de Seleção Múltipla switch em PHP (parte II)
Precedência e Associatividade de Operadores em PHP
Constantes em PHP
Variáveis Variáveis em PHP
Introdução aos Arrays em PHP
Arrays Indexados em PHP
Definindo, Incluindo, Alterando e Excluindo elementos em PHP
Função range() em PHP
Iterando Arrays em PHP
Estrutura foreach em PHP
O foreach em PHP - Como usar?
Estrutura foreach - alterando valores internos
Arrays Associativos em PHP
Arrays Multidimensionais em PHP
Manipulação de Arrays em PHP
Introdução às Funções em PHP
Definindo parâmetros em PHP
Parâmetros default com PHP
Lista de Parâmetros em PHP
Lista de Parâmetros em PHP II
Funções variádicas em PHP
Retorno de Valores pela função em PHP
Funções e Escopo de Variáveis em PHP
Parâmetros por Referência em PHP
Parâmetros por Referência em PHP II
Parâmetros Tipados em PHP
Valores de retornos de funções tipados em PHP
Null Coalescing Operator em PHP
Operador SpaceShift em PHP
Importação: include() e require() do PHP
Introdução às Funções Anônimas em PHP
Escopo de nomes das funções anônimas em PHP
Funções Anônimas na Prática com PHP
Funções Anônimas e Arrays com PHP
Introdução às Strings em PHP
Aspas Duplas vs Aspas Simples em PHP
String Aspas Duplas em PHP
String heredoc e nowdoc em PHP
Funções para Manipulação de Strings em PHP
Introdução às Requisições Web em PHP
Método GET em PHP
Formulários HTML e PHP
Método POST com PHP
Variáveis superglobais do PHP
A Orientação a Objetos em PHP
Primeira Classe em PHP
Membros de Classe em PHP
Criação de Objetos em PHP
Acessando Membros de Classe em PHP
Implementando Comportamentos de Classe com PHP
Pseudo-variável $this em PHP
Gerenciando Atributos de Classe em PHP
Construtores em PHP
Construtores Personalizados em PHP
Destrutores em PHP
Encapsulamento em PHP
Encapsulamento em PHP (parte II)
Herança em PHP
Herança com PHP II
Modificadores de Acesso em PHP
Visibilidade das Funções em PHP
Funções Modificadoras em PHP
Sobrescrita de Funções em PHP

Nesta aula implementaremos a nossa primeira classe em PHP. Também estudaremos alguns conceitos sobre a programação orientada a objetos e os seus beneficios.

OS OBJETOS E O PHP

Nesta aula iniciaremos o estudo da Orientação a Objetos utilizando a linguagem PHP.

Inicialmente temos de saber que o PHP incorporou os conceitos da orientação a objetos e não o contrário. Ou seja, POO é uma definição para o desenvolvimento de software e que é utilizado por várias linguagens de programação de computadores. Programação Orientada a Objetos não é uma linguagem e não possui sintaxe definida. Trata-se de um conceito que utiliza a definição de objetos do mundo real para a construção de entidades representativas que contenham informações e um conjunto de funções e métodos para manipulação dos dados internos.

Inicialmente, o PHP dispunha somente do paradigma de programação procedural, onde as aplicações eram construídas pela definição de funções em diversos arquivos e conforme necessário as funções iam sendo invocadas.

Esse paradigma de programação, ou melhor, essa prática de desenvolvimento continua sendo válida na construção de códigos e, geralmente, é a porta de entrada dos novos programadores. Até porque, num primeiro momento, a literatura e os professores de PHP ensinam a utilizar funções sem nem ao menos declararmos uma função. Ou seja, colocamos todas as funções no corpo do arquivo que possui extensão *.php e executamos no browser.

Assim, é comum em PHP utilizarmos os 2 paradigmas de programação e mais um terceiro, o paradigma de programação funcional. Logo, temos que o PHP suporta, basicamente, 3 paradigmas para o desenvolvimento de Scripts e aplicativos, são eles:

  1. Paradigma de programação procedural
  2. Paradigma de programação Orientado a Objetos
  3. Paradigma de programação funcional

A verdade é que não existe paradigma melhor ou pior, cada um busca servir a um propósito bem especifico e, mesmo sendo possível fazer em qualquer paradigma o que é feito em outro, a estrutura e a organização do código possui grande diferença, seja na leitura, seja na performance de sua execução.

CONCEITO DE CLASSE

Classe é um Tipo Abstrato de Dados (TAD), isto é, uma forma para declararmos um novo tipo de informação e, implementar os estados e os comportamentos do novo tipo de dado.

Por definição, as classe permitem a definição de estado e de comportamento. Assim, conseguimos manter as informações e as funções que as manipulam numa mesma entidade representativa.

Devemos entender o conceito de estado como sendo os atributos, isto é, as variáveis propriamente ditas. Enquanto que o comportamento, são as funções, isto é, blocos de códigos que irão trabalhar e manipular os estados.

estado
atributos referentes as classes
comportamento
funções que manipulam os estados

PRIMEIRA CLASSE

Vamos criar a nossa primeira classe em PHP. Para isso, faremos uso da palavra-chave class que, do Inglês, significa classe. Após o uso da instrução class, temos que abrir e fechar chaves, definindo assim, o escopo de nomes público da classe.

Isso quer dizer que todas as variáveis e funções deverão, obrigatoriamente, serem definidas entre os parêntesis que compreendem o bloco de instrução da classe, por exemplo:

class < nome >
{
    # <bloco de instrução da classe>
}

No código acima, definimos o esquema para a declaração de classes em PHP. Inicialmente, utilizamos a palavra reservada class, em seguida, definimos o nome da classe e, por fim, abrimos e fechamos chaves definindo assim, o bloco de instrução que estarão contidos todas as funções e propriedades da classe.

Toda classe em POO deverá, obrigatoriamente, possuir um nome. A composição de nomes segue as mesmas regras estudadas na definição de nomes de variáveis em PHP .

NOMENCLATURA CONVENCIONAL

É comum a composição de nome de classe seguindo o padrão CamelCase, isto é, a primeira letra de cada palavra deve estar em letra maiúscula. Por exemplo, ClasseTeste. Como podemos ver, o nome fictício que definimos está composto por 2 palavras: clase e teste. Logo, para compormos um nome de classe com esses 2 termos, colaríamos as iniciais e maiúsculas e os uniriamos diretamente ClasseTeste.

Obviamente que, sendo você o programador, a nomenclatura que seguirás é aquela que desejares, porém, quando outro programador for ler o seu código, o nível de dificuldade se acentuará caso não estejas utilizando algum padrão. E, se por ventura, vieres a distribuir o seu código, será importante seguir as convenções já estabelecidas, até porque, é dessa forma que a comunidade está acostumada a ler e a estudar códigos PHP.

PECULIARIDADE NA NOMENCLATURA DE CLASSE

Aprendemos em aulas anteriores que o PHP é uma linguagem Case Sensitive, isto é, referências constituidas por letras maiúsculas e minúsculas são nomes diferentes de e fazem referência a entidades diferentes. Por exemplo:

$nome_a = 10;
$nome_A = 20;

if ($nome_a == $nome_A)
    echo "1";
if ($nome_A == $nome_A)
    echo "2";

EXEMPLO FEITO EM AULA

#PRIMEIRA CLASSE EM PHP

class Pessoa{

}


Tags curso, php, programação orientada a objetos, poo, classe, objeto, instância, blog

Comentários

comments powered by Disqus